Skip to main content

Comboios de Portugal

"Com uma transação, é possível obter um bilhete único para a rede nacional. Nas zonas urbanas, com um único cartão é possível usar várias operadoras."

Luís Vale Product System Developer, Comboios de Portugal

Desafio     
Num ambiente de transportes cada vez mais competitivo, proporcionar flexibilidade e conveniência aos passageiros é um factor crítico para o sucesso. Antes da implementação desta solução, os processos de bilhética eram quase sempre feitos de forma manual, o que gerava dificuldades em centralizar e gerir os dados. Além de consumir muito tempo e ser propiciador de fraudes, este tipo de funcionamento dificultava a interacção entre as aquisições de viagens ferroviárias e outros meios de transporte.

“Ao longo dos últimos dez anos, segui as grandes transformações na tecnologia de bilhética. É uma revolução em todos os sectores e o ferroviário não é excepção, porque se está a tornar cada vez mais competitivo”, explica Luís Vale, Product System Developer da Comboios de Portugal. “Isso significa que Comboios de Portugaltemos de fornecer os melhores produtos com a melhor flexibilidade aos nossos clientes. O sistema tem de evoluir constantemente devido aos requisitos tecnológicos e à legislação do sector dos transportes”, complementa.
A CP decidiu que introduzir um sistema contactless lhe permitiria disponibilizar uma plataforma de bilhética electrónica a nível nacional que serviria melhor os clientes, reduziria a fraude e racionalizaria os custos. Ao mesmo tempo, uma tal solução facilitaria bastante a interoperabilidade com outras transportadoras.

“Os bilhetes e cartões inteligentes ajudam-nos a compreender os clientes”, diz Luís Vale, acrescentando que, “existe uma necessidade permanente de integração – de haver compatibilidade com outros serviços e empresas de transporte.”
A organização identificou cinco áreas que precisavam de ser intervencionadas e actualizadas: uma unidade centralizada de base de dados e análise de dados; as bilheteiras; a emissão de bilhetes a bordo; máquinas de venda de bilhetes self-service; e as entradas físicas das estações. Na sequência de um concurso público, a CP seleccionou a Fujitsu para a gestão de todas as áreas com excepção das entradas físicas das estações.


Solução 
A equipa da Fujitsu desenvolveu de raiz uma plataforma de software à medida que actua como hub para o novo sistema de cartões inteligentes. Esta recolhe dados de 21 aplicações que permitem uma total visibilidade das transacções e minimiza a actividade fraudulenta.

“Este sistema central é capaz de comunicar com outras áreas da empresa, como a contabilidade, a análise de dados, os canais de acesso e, acima de tudo, com os nossos 110 milhões de clientes”, afirma Luís Vale.
A Fujitsu equipou 325 bilheteiras em 154 estações com novos dispositivos POS, ao mesmo tempo que instalou 165 quiosques automatizados, todos ligados de forma segura à rede para autenticação em tempo real. Os passageiros recebem agora cartões CALYPSO contactless assentes em RFID que podem ser recarregados em qualquer destes locais, bem como em ATMs. Além disso, os funcionários a bordo têm PDAs que podem validar e vender bilhetes para maior conveniência. 
   
parte_esquerda
Benefícios
Para a CP, a vantagem mais significativa é a capacidade de minimizar as possibilidades de os passageiros viajarem sem terem pago o bilhete correcto. Ao mesmo tempo, ao automatizar grande parte do processo de bilhética, a empresa consegue reduzir a necessidade de pessoal nos locais, reduzindo os custos. Também proporciona muito maior flexibilidade aos seus clientes, sobretudo no que diz respeito à interoperabilidade com outras empresas transportadoras.

“Como este sistema nos envia informação em tempo real, podemos dar resposta às necessidades especiais dos nossos clientes. Por exemplo, agora podemos vender bilhetes através de ATMs ou da internet”, diz Luís Vale, acrescentando: “Com uma transação, é possível obter um bilhete único para a rede nacional. Nas zonas urbanas, com um único cartão é possível usar várias operadoras”.

Comboios de PortugalA empresa dispõe também de um ‘painel de gestão’ através do qual pode ver todas as transacções em tempo real, o que lhe permite responder de forma mais flexível a mudanças nas exigências do mercado. Esta informação é muito mais precisa do que aquela que havia anteriormente, pois foi eliminada a possibilidade de erro humano na introdução manual dos dados.
Do ponto de vista do passageiro, a interoperabilidade com outros modos de transporte é da maior conveniência. Qualquer pessoa com um cartão inteligente pode viajar em barcos, autocarros, metro e comboio usando o mesmo bilhete, poupando tempo e complexidades.

A CP tem agora uma infra-estrutura bilhética robusta e flexível que é capaz de escalar à medida que a empresa cresce. E está a reduzir a fraude, a minimizar a necessidade de intervenção humana e a permitir que a empresa trabalhe mais de perto com outras empresas de transportes.

Como resultado, a CP instalou 22 servidores Fujitsu PRIMERGY em toda a empresa para apoiar várias funções de negócio.
Luís Vale garante: “Tem sido uma boa viagem. A Fujitsu compreende melhor o nosso negócio e nós também conhecemos melhor a tecnologia e quais são as novas oportunidades que temos em conjunto.”

Download

Comboios De Portugal Case Study (1.41 MB )