GTM-WKRD365
Skip to main content
  1. Home >
  2. Sobre a Fujitsu >
  3. Projectos IoT Devem Proporcionar Retorno em Menos de Três Anos, Afirma Novo Estudo da Fujitsu

Projectos IoT Devem Proporcionar Retorno em Menos de Três Anos, Afirma Novo Estudo da Fujitsu

Factos noticiosos:

  • Mais de metade dos líderes empresariais e tecnológicos esperam um retorno sobre o investimento em projectos IoT no espaço de três anos
  • As empresas implementam a IoT para um vasto conjunto de benefícios, que inclui a geração de novas receitas (45 por cento), melhor segurança e saúde (47 por cento)
  • O estudo identifica que há espaço para melhorias entre os fornecedores de serviços e equipamentos IoT, especialmente no que toca a um melhor suporte e uma colaboração mais próxima
Lisboa, January 10, 2019 - De acordo com um novo estudo da Fujitsu, a tecnologia da Internet das Coisas (IoT) alcançou um mainstream antecipado, com os líderes empresariais e tecnológicos a esperarem resultados tangíveis em três anos ou menos – dando assim o sinal de que os dias da mera experimentação com projectos IoT faz agora parte do passado.
A Fujitsu solicitou à IDG Connect um estudo para melhor compreender o modo como a tecnologia IoT está a amadurecer nas empresas e para medir as expectativas do sector. Os dados confirmam que a IoT já amadureceu muito mais do que uma tecnologia emergente e sublinham que as empresas estão cada vez mais impacientes no que toca a esperar que as IoT impulsionem os seus resultados.
Quase três quartos dos inquiridos (73 por cento) confirmaram que as implementações IoT avançaram muito para lá das fases de teste e educação do mercado, com quase metade delas a proporcionarem resultados. Sublinhando este foco crescente no retorno, o estudo da Fujitsu conduzido pela IDG Connect concluiu que quase um terço (31 por cento) espera retorno sobre os investimentos em projectos IoT no prazo de um a dois anos, e 56 por cento espera rentabilidade no prazo de três anos.
Devido à complexidade da IoT, as empresas estão a virar-se para fornecedores de serviços e equipamentos que as auxiliem com as implementações. No entanto, o estudo também indica que os fornecedores não estão a corresponder às expectativas. As grandes preocupações são: a necessidade de um melhor suporte (24 por cento); uma colaboração mais próxima para que as marcas compreendam as necessidades únicas do seu cliente (23 por cento); um apelo à redução dos preços (20 por cento); uma maior flexibilidade contratual (17 por cento); e mais opções as-a-service prontas a usar (15 por cento).
Yves de Beauregard, Responsável de Soluções de Negócio Digitais da Fujitsu na EMEIA, comenta: “As tecnologias IoT estão a entrar num mainstream precoce num vasto conjunto de sectores verticais, como confirma o nosso estudo. Para obter o maior valor da IoT, a Fujitsu está fixada em implementar tecnologias duradouras e robustas que assegurem o máximo retorno para os seus clientes. Estamos a aproveitar a nossa profunda experiência em tecnologia e a combiná-la com o know-how do negócio dos nossos clientes.
Os resultados do estudo mostram que é evidente que as empresas já estão a ter retornos sólidos sobre o seu investimento em projectos IoT. Tal deveria constituir um incentivo atractivo para qualquer organização que ainda esteja céptica quanto a experimentar a IoT e a obter valor a partir desta.”
A IoT é agora mainstream precoce num vasto conjunto de case studies
O estudo da Fujitsu também revela que as empresas estão a usar a IoT para um vasto conjunto de fins, muito além da disponibilização de eficiências processuais. Aliás, as respostas mais citadas no estudo foram para melhorar a saúde e a segurança (47 por cento), para reforçar a segurança (47 por cento), para usar dados que passam a ficar disponíveis para criar estratégias mais inteligentes (47 por cento), e ainda para melhorar a manutenção (46 por cento).
Além disso, 45 por cento das empresas já está a utilizar a IoT para gerar novas oportunidades de receita, e um quarto dos inquiridos considera que a maior oportunidade é a capacidade de cobrar preços premium por acrescentos valiosos a produtos, dados ou serviços. Além do mais, pouco mais de um quinto (22 por cento) das empresas citou a possibilidade de criar de forma rentável serviços melhores e mais diferenciados para atrair novos clientes.
Informação adicional está disponível para download online.
Notas para os editores
A investigação foi levada a cabo pela IDG Connect no Verão de 2018, sondando as opiniões de 330 líderes empresariais e tecnológicos de organizações com mais de 250 colaboradores na França, na Alemanha, na Península Ibérica, na Índia, nos Países Nórdicos, nos Emiratos Árabes Unidos e no Reino Unido. Uma maioria substancial de inquiridos representava organizações com entre 500 e 4.999 colaboradores.

Recursos Online

Sobre a Fujitsu

A Fujitsu é a companhia líder japonesa de tecnologias de informação e comunicação (TIC) disponibilizando um leque completo de produtos tecnológicos, soluções e serviços. Cerca de 140.000 colaboradores da Fujitsu prestam suporte a clientes em mais de 100 países. Utilizamos a nossa experiência e o poder das TIC para moldar o futuro da sociedade com os nossos clientes. A Fujitsu Limited (TSE: 6702) apresentou receitas consolidadas de 4,1 biliões de ienes (39 mil milhões de dólares) para o ano fiscal que terminou a 31 de Março de 2018.
Para mais informações, visite www.fujitsu.pt ou www.fujitsu.com

Pedro Amaral

Telefone: Telefone: 211 557 634 / 932 981 103
E-mail: E-mail: pamaral@mediabold.com
Empresa - mediaBOLD

Susana Soares

Telefone: Telefone: 21 724 44 44
E-mail: E-mail: susana.soares@ts.fujitsu.com
Empresa - Fujitsu : Directora de Marketing,
Fujitsu Portugal

Date: 10 January, 2019
City: Lisboa