GTM-WKRD365
Skip to main content
  1. Home >
  2. Sobre a Fujitsu >
  3. Estudo Fujitsu Revela que as Empresas Europeias são Demasiado Negligentes na Prevenção do Cibercrime

Estudo Fujitsu Revela que as Empresas Europeias são Demasiado Negligentes na Prevenção do Cibercrime

Lisboa, April 18, 2017A lista de ameaças de cibersegurança para 2017 do Fujitsu Security Operations Center destaca vulnerabilidades empresariais críticas 
Canais desprotegidos que dão acesso a sistemas críticos, banca e cidades inteligentes estão entre os alvos mais prováveis dos cibercriminosos este ano 
A Inteligência Artificial deverá ser revolucionária tanto para a cibersegurança como para a cibercriminalidade
O maior risco continua a ser o de processos TI fracos, algo que continuará a causar brechas evitáveis
As empresas europeias deviam ser mais vigilantes e dar passos que impeçam que o cibercrime perturbe as suas operações essenciais, alerta a Fujitsu. No seu relatório de Previsão de Ameaças de 2017, hoje publicado, o Fujitsu Security Operations Center identifica 10 HYPERLINK "http://www.fujitsu.com/uk/Images/FUJ_SOC_Predictions_Infographic.pdf"dos maiores riscos de segurança para as empresas. Estes incluem não conseguir estar a par dos processos de segurança TI básicos. Outros riscos elevados são os ataques a aplicações bancárias e a cidades inteligentes.

Tendo por base dados reais na monitorização de ameaças de segurança actuais, a Fujitsu identificou que a ciberameaça mais significativa – não conseguir estar a par dos processos de segurança TI básicos – é também a mais fácil de remediar. Os investigadores de segurança da Fujitsu acreditam que os descuidos de segurança vão continuar a originar fugas facilmente evitáveis, destacando “um número impressionante de empresas que não leva a cabo as simples – mas vitais – tarefas de manutenção que diminuem os riscos.” Fujitsu_Cibercrime

De acordo com o relatório, entre as medidas imediatas que qualquer empresa pode tomar para se proteger melhor estão um patching de vulnerabilidades mais eficaz e a garantia de que apenas os utilizadores actuais têm acesso a sistemas críticos. Além disso, muitas organizações são demasiado generosas no que diz respeito aos privilégios de acesso ao sistema que dão a utilizadores normais. Como consequência, a Fujitsu diz que as empresas estão “desnecessariamente vulneráveis à perda de dados, ao roubo de dados ou à disrupção externa dos seus sistemas”.
Uma das fraquezas identificadas pelos especialistas em segurança da Fujitsu está relacionada com canais encriptados que permitem o acesso externo ao centro de sistemas informáticos críticos. Estes canais são concebidos para dar a trabalhadores remotos um acesso mais fácil às redes. Porém, quando são tomados por um cibercriminoso, as actividades nefastas que este pode fazer são, em larga medida, indetectáveis. Isto deve-se àquilo que a Fujitsu descreve como “um ângulo morto, pois os ataques que usam canais encriptados não são detectados devido à falta de capacidades de inspecção SSL”.

As empresas também devem estar mais vigilantes na gestão de aplicações bancárias, outro ponto favorito dos cibercriminosos. A Fujitsu prevê que em 2017 haverá mais ataques aos sistemas de pagamento bancário, bem como um aumento dos ataques de "Cavalos de Tróia" bancários a aplicações de back office mais antigas e mais vulneráveis. Embora as redes bancárias internacionais estejam a mexer-se no sentido de estabelecer controlos obrigatórios, a Fujitsu afirma que “ainda há uma janela de oportunidade para os cibercriminosos”.

As cidades inteligentes também serão alvo de ameaças – com os especialistas de segurança da Fujitsu a comentarem que “muitos dos protocolos desenhados para dispositivos conectados inteligentes têm as suas próprias falhas e vulnerabilidades potenciais”. A Fujitsu alerta que tais falhas podem, inclusivamente, permitir que hackers desliguem as redes de iluminação inteligente de cidades inteiras.
O moderno Fujitsu Security Operations Center (SOC) – que protege os clientes através da detecção, análise e neutralização de ameaças – também prevê que o uso cada vez maior da Inteligência Artificial (IA) e das capacidades de aprendizagem das máquinas se tornarão revolucionárias no mundo da segurança empresarial. A IA pode identificar imediatamente anomalias, por exemplo, nos padrões de tráfego web. Esses sistemas de pré-aviso permitem que os profissionais de segurança adoptem uma abordagem proactiva face à mitigação de riscos, procurando eliminar as ameaças antes de estas se tornarem problemas. Todavia, o relatório alerta para o facto de os cibercriminosos também estarem a adoptar estas tecnologias para lançar tipos de ataque nunca antes vistos.

Rob Norris, VP e Responsável de Segurança Empresarial e Cibersegurança da Fujitsu na EMEIA, comenta: “Cada avanço que procure apertar a cibersegurança significa uma diminuição exponencial da vulnerabilidade. Muitas organizações ainda não perceberam totalmente que, quando se depende da informática para gerir o negócio, estar offline significa, na prática, estar sem negócio. Não é apenas um risco financeiro, mas também um potencial dano para a sua reputação se ocorrer perda ou roubo de dados. O nosso novo relatório destaca alguns passos simples que qualquer organização pode dar para assegurar que não fica desnecessariamente exposta a perda de dados, roubo de dados ou perturbação externa dos seus sistemas
."

Notas para editores

O Relatório de Previsões de Ameaças 2017 completo está disponível aqui: http://www.fujitsu.com/pt/estudos/cibercrime/
Os Security Operations Centers da Fujitsu proporcionam Serviços de Segurança Gerida 24x7 que protegem as empresas através de uma monitorização proactiva e de uma resposta a incidentes.

Recursos Online

Leia o blogue da Fujitsu: http://blog.ts.fujitsu.comHYPERLINK "http://blog.ts.fujitsu.com/"  
Siga-nos no Twitter: http://www.twitter.com/Fujitsu_GlobalHYPERLINK "http://www.twitter.com/Fujitsu_GlobalHYPERLINKhttp://www.twitter.com/Fujitsu_Global%22%A0%A0" e
https://twitter.com/FujitsuPortugal
Siga-nos no LinkedIn: http://www.linkedin.com/company/fujitsuHYPERLINK "http://www.linkedin.com/company/fujitsuHYPERLINKhttp://www.linkedin.com/company/fujitsu%22%A0" e 
www.linkedin.com/company/fujitsuportugal
Siga-nos no YouTube:
www.youtube.com/user/FujitsuPortugal
Encontre a Fujitsu no Facebook: http://www.facebook.com/FujitsuICTHYPERLINK "http://www.facebook.com/FujitsuICTHYPERLINKhttp://www.facebook.com/FujitsuICT%22%A0"   
Servidor de média e imagens da Fujitsu: http://mediaportal.ts.fujitsu.com/pages/portal.php

Sobre a Fujitsu

A Fujitsu é a companhia líder japonesa de tecnologias de informação e comunicação (TIC) disponibilizando um leque completo de produtos tecnológicos, soluções e serviços. Cerca de 156.000 colaboradores da Fujitsu prestam suporte a clientes em mais de 100 países. Utilizamos a nossa experiência e o poder das TIC para moldar o futuro da sociedade com os nossos clientes. A Fujitsu Limited (TSE: 6702) apresentou receitas consolidadas de 4,7 biliões de ienes (41 mil milhões de dólares) para o ano fiscal que terminou a 31 de Março de 2016.


Susana Soares

Telefone: Telefone: 21 724 44 44
E-mail: E-mail: susana.soares@ts.fujitsu.com
Empresa - Fujitsu: Marketing Director

Date: 18 April, 2017
City: Lisboa