GTM-WKRD365
Skip to main content
  1. Home >
  2. Sobre a Fujitsu >
  3. Empresas com dificuldades na Transformação Digital, perdem 555 mil euros por projecto falhado

Empresas com dificuldades na Transformação Digital, perdem 555 mil euros por projecto falhado

Lisboa, November 06, 2017


Factos noticiosos:

·         Inquérito a 1.625 líderes de empresas de todo o mundo demonstra que as organizações não estão a cumprir as expectativas em quatro aspectos estratégicos necessários para a transformação digital: Pessoas, Acções, Colaboração e Tecnologia (PACT) 
·        
 Uma em cada quatro organizações tiveram um projecto digital falhado nos últimos dois anos – com um custo médio de 555 mil euros 
·         7 em cada 10 admite escassez de conhecimentos digitais, com 80 por cento a dizer que essa lacuna é o principal obstáculo no caminho da cibersegurança
·         72 por cento dizem que projectos digitais sombra são a única alternativa que determinados sectores da organização têm para concluir inovações significativas
·         84 por cento das empresas afirma que os seus clientes esperam que elas sejam mais digitais, enquanto 71 por cento estão preocupadas com a sua capacidade adaptação à inteligência artificial

Embora as empresas reconheçam a importância da transformação digital, organizações de todo o mundo estão a ter dificuldades em equilibrar os elementos necessários para cumprir a promessa do digital. Dos 1.625 líderes empresariais inquiridos para o novo relatório da Fujitsu, The DiHYPERLINK "http://www.fujitsu.com/pact"gHYPERLINK "http://www.fujitsu.com/pact"ital Transformation PACT, um em cada três (33%) cancelou um projecto nos últimos dois anos com um custo de €423.000, enquanto um em quatro (28%) experimentou um projecto falhado com um custo de €555.000. 84 por cento das empresas diz que os seus clientes esperam que elas sejam mais digitais, enquanto 71 por cento acredita estar atrás da concorrência. Em última análise, dois em cada três (66%) acredita que irá perder clientes para a concorrência devido à transformação digital.

Concretizar a transformação digital é muito mais do que apenas tecnologia. O estudo encomendado pela Fujitsu examina o desempenho das empresas em quatro áreas estratégicas essenciais para se transformarem digitalmente: Pessoas, Acções, Colaboração e Tecnologia (PACT). As organizações reconhecem a importância da transformação digital, tendo a maioria delas (46%) implementado já projectos de transformação, ao passo que 86 por cento dizem estar a fazer planos para o impacto da tecnologia no seu negócio para lá dos próximos 12 meses. No entanto, as empresas continuam a enfrentar desafios nos quatro pilares do PACT.

“A tecnologia pode ser verdadeiramente transformadora, mas aproveitar ao máximo o digital requer mais do que as ferramentas mais recentes”, afirmou Duncan Tait, CEO da Fujitsu. “Hoje em dia, embora as empresas reconheçam a necessidade de adoptar e adaptar a tecnologia, permanecem questões significativas que contribuem para taxas de fracasso substanciais e elevados custos associados. Para concretizar a sua visão digital, é crucial que as empresas tenham ao seu dispor as melhores opções em competências, processos, parcerias e tecnologia. Com a disrupção digital a alterar rapidamente o ambiente empresarial, as empresas não se podem dar ao luxo de fracassar na sua transformação.”

Pessoas
Quando consideram a sua abordagem às pessoas envolvidas na transformação digital, a vasta maioria dos líderes empresariais (90%) está a dar passos para aumentar o seu acesso a competências digitais, com 70 por cento a admitirem que há uma clara ausência de competências digitais na sua organização. Por exemplo, 80 por cento dizem que a falta de competências é o maior obstáculo no caminho da cibersegurança. Olhando para o futuro, as competências vão continuar a ser uma questão fundamental para o negócio; 93 por cento afirmam que melhorar a formação dos colaboradores será vital para o sucesso da sua organização nos próximos três anos, enquanto 83 por cento acredita que a inteligência artificial irá transformar as competências necessárias até 2020.

Acções
No que diz respeito às acções, enquanto sinónimo de processos e comportamentos necessários para fazer funcionar a transformação digital, nove em cada dez líderes empresariais (90%) afirma que a sua organização possui uma estratégia digital claramente definida, enquanto 83 por cento confia que o resto da empresa sabe qual é. Todavia, três quartos (74%) afirmam que são frequentemente levados a cabo projectos sem qualquer ligação à estratégia geral do negócio, ao passo que 72 por cento dizem que projectos digitais sombra são a única forma de partes da empresa conseguirem alcançar uma inovação significativa. Por outro lado, dois em cada três (66%) referem que o custo do fracasso os desencorajou de futuras transformações digitais.

Colaboração
Os líderes empresariais estão a dar passos positivos na colaboração, com a maior parte das empresas a assumir ou a planear assumir projectos de co-criação (63%), com parceiros que incluem especialistas em tecnologia (64%) e clientes existentes (42%). Surpreendentemente, 79 por cento até estariam dispostos a partilhar informação sensível como parte destes projectos de co-criação; no entanto, 73 por cento afirma que a falta de sucesso num intervalo de tempo rápido poderia rapidamente pôr fim a tais parcerias estratégicas.

Tecnologia
E no que toca à tecnologia, os líderes empresariais estão a planear implementar um vasto conjunto de sistemas; nos próximos 12 meses, mais de metade planeia apresentar soluções de cibersegurança (52%) ou relacionadas com a Internet das Coisas (51%), com a computação cloud (47%) e a inteligência artificial (46%) a ficarem bastante perto. Os líderes empresariais estão cientes do impacto disruptivo das alterações tecnológicas, com 86 por cento a afirmarem que a capacidade de mudar será crucial para a sua sobrevivência nos próximos cinco anos. Todavia, 71 por cento estão preocupados com a capacidade da sua organização para se adaptar a tecnologias como a inteligência artificial.

Duncan Tait referiu ainda que “a introdução de nova tecnologia num negócio sempre exigiu equilíbrio. No entanto, à medida que o ritmo das alterações tecnológicas continua a aumentar, o equilíbrio é mais importante do que nunca. Já não basta ter as melhores aplicações e dispositivos; sem pessoas talentosas e capazes para os usar, eles de nada servem. Pode até ter as pessoas mais brilhante e progressistas, mas elas vão fracassar numa cultura que não promova a inovação. E nenhum negócio – por maior, mais influente ou poderoso que seja – pode aspirar a ter sucesso sozinho no futuro. As organizações apenas podem prosperar nesta era digital se conseguirem alcançar um equilíbrio nestes quatro ingredientes vitais - Pessoas, Acções, Colaboração e Tecnologia.”

Notas para editores

O relatório “The Transformação digital PACT”, da Fujitsu, está disponível para download aqui: www.fujitsu.com/pact

Esta investigação quantitativa foi levada a cabo em Julho e Agosto de 2017 pela empresa independente de pesquisas Censuswide. Foram inquiridos 1.625 decisores empresariais de organizações médias a grandes do sector público, dos serviços financeiros, do retalho e da manufactura. Todos os inquiridos já tinham ou entregue o seu projecto de transformação digital ou manifestado interesse em fazê-lo no futuro.

Tamanho da amostra do inquérito por país:

·        
Alemanha: 151
·         Austrália: 153
·         China: 150
·         Espanha: 151
·         Estados Unidos: 150
·         Finlândia e Suécia: 150
·         França: 150
·         Hong Kong: 50
·         Irlanda: 20
·         Itália: 150
·         Japão: 150
·         Reino Unido: 150
·         Singapura: 50

Recursos online

Sobre a Fujitsu

A Fujitsu é a companhia líder japonesa de tecnologias de informação e comunicação (TIC) disponibilizando um leque completo de produtos tecnológicos, soluções e serviços. Cerca de 155.000 colaboradores da Fujitsu prestam suporte a clientes em mais de 100 países. Utilizamos a nossa experiência e o poder das TIC para moldar o futuro da sociedade com os nossos clientes. A Fujitsu Limited (TSE: 6702) apresentou receitas consolidadas de 4,5 biliões de ienes (40 mil milhões de dólares) para o ano fiscal que terminou a 31 de Março de 2017.

Para mais informações, visite www.fujitsu.pt ou www.fujitsu.com 

Pedro Amaral

Telefone: Telefone: +351 211 557 634
Mobile: Mobile: +351 93 298 11 03
E-mail: E-mail: pamaral@mediabold.com
Empresa - mediaBOLD

Susana Soares

Telefone: Telefone: 21 724 44 44
E-mail: E-mail: susana.soares@ts.fujitsu.com
Empresa - Fujitsu: Marketing Director

Date: 06 November, 2017
City: Lisboa