Skip to main content
  1. Home >
  2. Sobre a Fujitsu>
  3. Portugal Fujitsu recebe encomenda da Agência Japonesa de Energia Atómica para o mais rápido supercomputador

Portugal Fujitsu recebe encomenda da Agência Japonesa de Energia Atómica para o mais rápido supercomputador

Fujitsu Technology Solutions

August 06, 2009
Fujitsu M2010

A Fujitsu anuncia que recebeu uma encomenda da Agência Japonesa de Energia Atómica (AJEA) para um novo supercomputador que vai ser o mais poderoso no Japão quando ficar pronto a ser utilizado em 2010.

O cluster Linux, que serve de core para o novo sistema, vai utilizar os servidores blade PRIMERGY BX900 que a Fujitsu posicionou como produto chave para a expansão global da empresa. Composto por 2,157 nós, o sistema core vai ter um desempenho teórico máximo de 200 teraflops (*1), tornando-se o supercomputador mais rápido do Japão (*2).

O novo sistema tem previsto começar as operações em Março de 2010 e vai ser utilizado em diversas áreas de investigação em energia atómica, incluindo simulações do processo de fusão nuclear. Vai ainda desempenhar um importante papel na garantia de uma utilização segura da energia atómica.

Background do sistema do novo supercomputador
A AJEA foi criada em Outubro de 2005 como a única instituição de investigação no campo da energia atómica no Japão. A sua investigação incluiu um ciclo rápido de reactores reprodutores, alto nível de transformação e eliminação de resíduos radioactivos, segurança da energia atómica, fusão nuclear, neutrões e utilização de feixes quânticos.

Até agora, a AJEA utilizava dois sistemas de supercomputador: um sistema partilhado (desempenho máximo teórico de 13 teraflops) e um sistema para utilizar no seu projecto de rápidos reactores reprodutores (2.4 teraflops). A necessidade da Agência processar enormes quantidades de dados, colocou uma carga pesada em ambos os sistemas, resultando numa necessidade urgente de actualização. Para responder a esta necessidade, a decisão foi tomada para introduzir um novo sistema que combina as funções dos dois sistemas existentes e que tem capacidade para lidar com as enormes necessidades computacionais das simulações do processo de fusão nuclear e outras investigações na área da energia atómica.

O novo sistema vai ser utilizado para uma série de simulações envolvidas no desenvolvimento de centrais nucleares, incluindo estudos sobre as fusões e reactores reprodutores rápidos, bem como para avaliar a resistência das instalações nucleares a terramotos. Espera-se que contribua para a consecução da segurança da energia atómica e ajude a resolver o problema do aquecimento global.

Sobre o sistema do novo supercomputador
O novo sistema, construído em torno de um cluster de larga escala para computação paralela, será um sistema híbrido composto por três subsistemas computacionais de servidores, cada um destinado a diferentes fins. Ao atingir 214 teraflops, o desempenho teórico total para estes três subsistemas é aproximadamente 14 vezes maior do que o actual sistema, o que vai tornar o desempenho do novo sistema o mais elevado no Japão. As principais características de cada subsistema são descritas abaixo.

1. Cluster de larga escala para computação paralela (desempenho máximo teórico: 200 teraflops)
Este sistema vai ser o maior cluster Linux no Japão, utilizando os servidores blade PRIMERGY BX900 equipados com processadores Intel® Xeon® X5570 (2.93GHz), para um total de 2,157 nós e 4,314 CPUs (17,256 cores). Os nós vão estar conectados através das mais recentes interconexões de alta velocidade InfiniBand™ QDR, resultando num ambiente paralelo de elevado desempenho. Este subsistema vai ser utilizado, primeiramente, em tarefas computacionais de larga escala, tais como simulações do processo de fusão nuclear, quando o processamento de um trabalho exige pelo menos 100 teraflops.

2. Unidade de desenvolvimento de código de nova geração (desempenho máximo teórico: 12 teraflops)
Este sistema vai incluir um cluster de computação técnica para servidores FX1 high-end, cada um equipado com processadores SPARC64™ VII quad-core desenvolvidos pela Fujitsu, para um total de 320 nós e 320 CPUs (1,280 cores). O FX1 vai ser utilizado, inicialmente, para o desenvolvimento de aplicações para computadores peta-scale.

3. Servidor de memória partilhada (desempenho máximo teórico: 1.92 teraflops)
Este sistema está configurado para utilizar um servidor SPARC Enterprise M9000 UNIX equipado com processadores SPARC64™ VII. Vai ser utilizado, numa primeira fase, em simulações computacionais para desenvolver rápidos reactores reprodutores.

Os três subsistemas utilizam o Parallelnavi em conjunto, o middleware HPC da Fujitsu, o qual permite a gestão como um único sistema e garante um elevado nível operacional.

Outros equipamentos incluem um sistema de armazenamento em larga escala ETERNUS DX80 de 36-unit, disponibilizando 1.2 petabytes de espaço de armazenamento.

Declarações de Toshio Hirayama, Director do Centro para Ciência Computacional e e-Sistemas, e Executive Officer da AJEA
“Os supercomputadores são indispensáveis para todo o tipo de cálculos científicos necessários no domínio da investigação e desenvolvimento em energia nuclear. Por esta razão, estou confiante que o novo sistema de supercomputador vai ser totalmente utilizado. Além disso uma vez que algumas características deste sistema serão a base tecnológica para o projecto de supercomputador de próxima geração no Japão, este sistema vai ajudar-nos a desenvolver códigos para este supercomputador, que se espera estar a funcionar em 2012”.

Sobre o PRIMERGY BX900
O PRIMERGY BX900 é o mais recente servidor blade da Fujitsu e está posicionado como um produto chave para a expansão global da empresa. Com uma densidade de 18 blades por chassis, permitindo um rendimento total de 6.4 Tbps, é líder entre os servidores x86 servers, ultrapassando largamente o desempenho dos sistemas concorrentes.

Além de ser utilizado em supercomputadores, o servidor blade PRIMERGY BX900 adapta-se perfeitamente a uma ampla gama de aplicações, incluindo sistemas de computação crítica e projectos de consolidação de servidores.

A Fujitsu pretende vender em todo o mundo mais de 500.000 unidades da linha PRIMERGY durante o ano fiscal de 2010, sendo que receber esta encomenda representa um importante passo para o objectivo.

Notas para o editor:

Sobre a Fujitsu

A Fujistu é um fornecedor líder de soluções tecnológicas de informação focadas na Internet para o mercado global. As suas tecnologias "pace-setting", plataformas de computação e telecomunicações líderes, e os colaboradores mundiais as áreas de sistemas e serviços tornam a Fujitsu na única empresa posicionada para lançar infinitas possibilidades na área Internet que ajudam ao sucesso dos seus clientes. Com sede em Tóquio, a Fujitsu Limited (TSE:6702) anunciou resultados consolidados de 5.48 triliões yen no ano fiscal que terminou a 31 de Março de 2001.

Sobre a Fujitsu Technology Solutions

A Fujitsu Technology Solutions é o fornecedor líder europeu de infra-estruturas TI, com presença nos principais mercados da Europa, Médio Oriente, África e ainda Índia, servindo grandes organizações, pequenas ou médias empresas e consumidores. Com a sua abordagem Dynamic Infrastructures, a empresa disponibiliza um portfólio completo de produtos IT, soluções e serviços, que incluem desde clientes e soluções de data center, Managed Infrastructure e Infrastructure-as-a-Service. A Fujitsu Technology Solutions emprega mais de 10.000 pessoas e faz parte do Grupo Fujitsu global.Para mais informações visite www.pt.ts.fujitsu.com