Skip to main content
  1. Home >
  2. Sobre a Fujitsu>
  3. Portugal Fujitsu desvenda as tendências de retalho nos próximos cinco anos

Portugal Fujitsu desvenda as tendências de retalho nos próximos cinco anos

Cada vez mais uma boa estratégia ditará o sucesso, à medida que o consumidor se torna mais informado e exigente

March 15, 2005

A Fujitsu acredita que alguns dos mais importantes desafios para os retalhistas nos próximos cinco anos estarão relacionados com:

  • As tendências dos consumidores se continuarem a focar mais em conveniência e em capacidade de escolha
  • Uma boa estratégia de retalho deverá estar focada nas necessidades dos consumidores e numa tecnologia facilitadora
  • O facto da cadeia de aprovisionamento ter evoluído rapidamente
  • O futuro foco ter de ser na loja e em sistemas comerciais
  • Novas economias que serão proporcionadas pelas TI

As tendências dos consumidores vão continuar a focar-se mais em conveniência e capacidade de escolha
Os consumidores são sofisticados seleccionadores de produtos e serviços e estão preparados para ir onde a qualidade e o preço respondem às suas necessidades. Isto significa que os retalhistas agora, e no futuro, têm duas hipóteses. Oferecer uma gama completa de produtos no seu ambiente de compra multi-canal – básicos de boa qualidade a preços baixos, bens com melhor qualidade a um preço médio e bens de alta qualidade a preços muito altos - ou dominar um destes nichos da forma mais acessível. Conveniência e capacidade de escolha mantém-se como as necessidades dominantes dos consumidores.

As boas estratégias de retalho focam-se nas necessidades dos consumidores e em tecnologia facilitadora
Perante o desenvolvimento do perfil do consumidor os retalhistas de sucesso têm de prestar, por um lado, uma atenção redobrada à sua estratégia a nível de variedade, preço e localização (real e virtual) e, por outro, às tecnologias que os ajudam a criar a conveniência e a ubiquidade a um custo baixo.
Os retalhistas de sucesso demonstraram que é possível criar um forte crescimento ao melhorarem a gama de produtos e serviços que os consumidores exigem, de uma forma persistente, mesmo que os seus mercados domésticos não cresçam em termos absolutos. A outra parte da fórmula de sucesso destes retalhistas tem sido a procura organizada das inovações que permitiram uma expansão a níveis de custos aceitáveis, logo garantindo uma vantagem de preço nos seus mercados competitivos.

A cadeia de aprovisionamento evoluiu de uma forma rápida
As inovações dos últimos cinco anos concentraram-se na cadeia de aprovisionamento. O global sourcing tornou-se um lugar comum e a logística e o rastreio da logística tornaram-se muito mais sofisticadas. A utilização de inovações em centros de distribuição mudaram a forma como os retalhistas vêem a cadeia de aprovisionamento, desde uma visão centrada no retalhista até uma visão centrada na cadeia de valor, com os parceiros a desempenharem um papel crescente. Ainda existem desafios, como garantir em tempo real a informação de fornecimento e de controlo e alcançar maior disponibilidade de produtos.

Contudo, ainda existem muitas mais inovações tecnológicas de apoio à cadeia de aprovisionamento. A tecnologia RFID promete melhorar as eficiências da cadeia de aprovisionamento durante os próximos dez a 15 anos. O rastreio de produtos responsivo e sistemas de controlo tornar-se-ão mais centrais ao gerirem não apenas a cadeia de aprovisionamento, mas toda a cadeia de valor.

O foco está na loja e nos sistemas comerciais
Actualmente, a verdadeira tendência está relacionada com a própria experiência de compra. Novas tecnologias de ponto de venda vão colocar uma interacção sofisticada na ponta dos dedos do pessoal da loja e dos clientes, colocando uma ferramenta muito mais flexível nas mãos dos retalhistas”, afirma Mark Dorgan, director de estratégia de retalho EMEA, Fujitsu.

A integração com outras tecnologias dentro da loja como POS portáteis, carrinhos de compras equipados com dispositivos digitais, quiosques para itens como phone top-up e etiquetas electrónicas shelf-edge criarão uma experiência de compra muito mais coerente. O self-checkout crescerá baseado na disponibilidade e na resposta entusiástica dos consumidores nos E.U.A e agora, de forma crescente, na Europa. A televisão digital dentro da loja evoluirá de ecrãs aborrecidos, para portais de promoções controlados. Todos estes sistemas estarão a operar cada vez mais num ambiente ‘thin’ (hardware pequeno na loja), com controlo remoto a partir de um sistema central. O que será diferente no ambiente de compra do futuro é que todas estas tecnologias serão integradas umas com as outras - usando os sistemas para aumentar a disponibilidade.

“Sem qualquer surpresa, a acção estará em integrar de uma forma mais íntima a informação de loja e comercial e após isso, toda a cadeia de valor. Muita desta tecnologia já se encontra aqui. Os “verdadeiros” líderes de retalho começarão agora a investir nestes sistemas e abordagens, para que se mantenham à frente da concorrência na conquista de clientes no futuro”, sublinha Mark Dorgan.

Introduzindo novas economias de TI para os retalhistas
Ao analisarem os custos de substituição dos seus antigos POS, sistemas comerciais e a implementação de novas tecnologias os retalhistas vão procurar novas formas de gerir o custo. Já começam a fazer o outsourcing de sistemas (hardware, software e serviços), assim como managed services. No entanto, além disto, passarão para uma tecnologia “pay-as-you-go”, onde alugam os POS e outros serviços como parte de um pacote de serviços flexível de parceiros de gestão de rede. Isto permitirá aos retalhistas diversificar o seu uso de rede e investimentos de tecnologia de acordo com a necessidade, em vez de realizarem investimentos pouco frequentes, mas de grande volume. “Como resultado, as economias das operações de retalho mudarão para sempre e alimentarão uma nova era na gestão de desempenho de retalho. Na verdade, estamos a entrar numa nova e excitante época no ambiente de retalho, marcada por uma mudança dinâmica”, afirma Mark Dorgan, director de estratégia de retalho EMEA, Fujitsu.

Notas aos Editores

Sobre a Fujitsu Services

A Fujitsu Services é uma das empresas de serviços de Tecnologia de Informação líder na Europa, Médio Oriente e África. O resultado anual é de €3.3 mil milhões, emprega 18.000 pessoas e opera em mais de 20 países. Desenha, desenvolve e opera sistemas de tecnologias de informação e serviços para clientes nos serviços financeiros, telecomunicações, retalho, utilities e mercados governamentais. As suas competências chave são o fornecimento de gestão de infra-estrutura de Tecnologias de Informação e outsourcing através de ambientes de desktop, redes e centros de dados, juntamente com uma gama completa de serviços relacionados, desde consultoria até à integração e desenvolvimento. Com sede em Londres, a Fujitsu Services é braço europeu de serviços de Tecnologias de Informação da Fujitsu. O Grupo Fujitsu, com receitas de €33.4 mil milhões, é líder em sistemas de Tecnologias de Informação orientados para o cliente e serviços para o mercado global. O site da Fujitsu Services: www.fujitsu.pt.

Contacto

Ana Ferreira
Morada:Rua General Firmino Miguel, nº 6 - Piso A Green Park 1649-043 LISBOA Portugal
Phone Telefone:21 724 44 44
Email E-mail: ana.ferreira@pt.fujitsu.com
EmpresaFujitsu Services