Skip to main content

SICOOB

"Com as soluções tecnológicas oferecidas pela Fujitsu, reformulamos a estrutura de TI do Sicoob, baseada na plataforma open system"

Dênio Albaro de Lima Rodrigues, Superintendente de TI , Sicoob

Com as soluções tecnológicas oferecidas pela Fujitsu, reformulamos a estrutura de TI do Sicoob, baseada na plataforma open system.

O cliente

O SICOOB, maior sistema de cooperativas de crédito do Brasil, é uma instituição financeira que trabalha com os mesmos serviços oferecidos pela rede bancária, mas os resultados obtidos são compartilhados entre todos os associados e aplicados na própria comunidade onde atua, com a geração de novas oportunidades de renda. O crescimento dos principais indicadores, tais como volume de negócios, quantidade de associados e pontos de atendimento, são resultado da eficiência no planejamento estratégico e de negócios do SICOOB.

Com 517 cooperativas singulares, 1.600 pontos de atendimento, 15 cooperativas centrais, a Confederação Nacional das Cooperativas de Crédito, o Banco Cooperativo do Brasil (BANCOOB), a Bancoob DTVM, a Fundação Sicoob Previ, a Cabal Brasil e um Fundo Garantidor (FGS), o SICOOB, está presente em 24 unidades da Federação e atende mais de 2,6 milhões de associados. Está ainda em sexto lugar em rede de atendimento entre as instituições financeiras do país.

O desafio

O SICOOB observou ao longo do tempo, uma mudança radical na forma como as empresas se relacionavam com a tecnologia, principalmente no setor financeiro. Com o objetivo de conquistar mais espaço e agregar valor aos negócios, o SICOOB sentiu a necessidade de reestruturar e aprimorar a base tecnológica para alcançar uma grande vantagem competitiva. Esta decisão incluía também o desenvolvimento de ações sócio-ambientais, e uma das iniciativas era a necessidade de reduzir a emissão de carbono para contribuir com o meio ambiente. A diretriz da empresa envolvia o uso consciente dos recursos computacionais e a otimização do uso de TI conforme a demanda de negócios.

A diretoria de TI decidiu, então, elaborar o PETI (Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação), com a finalidade de prover e executar as ações tecnológicas para que, alinhadas as estratégias de negócio do SICOOB, possam propiciar o desenvolvimento e crescimento da organização.

A partir de 2006, com o aumento do volume operacional, o SICOOB investiu fortemente em soluções de TI - equipamento, software, renovação dos aplicativos de negócio e segurança de dados a fim de propiciar aos associados e usuários melhor perfomance operacional e agilidade. Existiam aproximadamente 310 servidores físicos com diferentes arquiteturas, e a grande quantidade de equipamentos fazia com que o volume de processamento consumisse muitos recursos, com aproximadamente 90% de utilização da capacidade de processamento disponível.

Neste cenário, a tarefa de gerenciamento era bastante complexa, exigindo muito tempo e esforço. Os sistemas não eram escaláveis e o SICOOB necessitava de servidores s24x7, pois a operação precisava estar no ar ininterruptamente. O Sicoob tem dois datacenters, ambos localizados em Brasília, fornecendo serviço para o Brasil e gerenciando aproximadamente 20 milhões de transações online por dia. Além disso, havia também grande consumo de energia elétrica, alta taxa de emissão de carbono e alto custo de licenciamento de software dos servidores. Era necessário reestruturar o ambiente de TI, para que o planejamento e desenvolvimento de novos negócios pudessem ser realizados com maior produtividade.

O parque tecnológico precisava de uma solução que englobasse alto desempenho, menos consumo de energia elétrica, dinamismo e segurança, escalabilidade, flexibilidade e maior capacidade de processamento dos aplicativos de negócios para a rede de atendimento do SICOOB, que crescia de forma acelerada.

A solução

A área de TI do SICOOB iniciou um trabalho para definir qual seria a melhor solução para suportar a demanda das soluções de negócio, baseadas na plataforma open system, até 2014. Após estudos técnicos, a empresa decidiu pela substituição dos servidores existentes por outros com maior poder de processamento, implementação da virtualização da estrutura de TI do datacenter com consolidação da arquitetura operacional, baseada em uma plataforma de novos servidores voltados para o ambiente de missão crítica dessas soluções.

Foi elaborado um estudo técnico com alguns fabricantes e o servidor da Fujitsu foi o escolhido, especialmente pelas suas características de RAS (Reliability, Availability and Serviceability – confiabilidade, disponibilidade e capacidade de manutenção), redundância de componentes e resiliência a falhas de hardware. Baseado neste resultado, o SICOOB decidiu adotar os servidores de missão crítica da Fujitsu para consolidação do ambiente Intel do datacenter. A solução existente no SICOOB contempla dois servidores PRIMEQUEST 1800E1 e cinco PRIMEQUEST 1800E2, juntamente com storages ETERNUS DX que fornece uma perfomance ainda maior em disponibilidadee segurança das aplicações nessa plataforma. Até o final deste ano a Fujitsu implementará mais dois novos modelos no SICOOB.

O benefício

  • Ganho de 3 horas de processamento batch por noite
  • Compatibilidade da plataforma da Fujitsu com uma ampla variedade de produtos oferecidos mundialmente por fornecedores de software e hardware
  • Economia de 3,13 milhões de KW/ano de energia elétrica
  • Redução da emissão de 140 toneladas de CO2/ano

Baixar

Leia o Estudo de Caso completo (255 KB/A4, 2 pages)